Tag: santidade (Page 1 of 2)

E Jesus? perdido na história

E Jesus? perdido na história. Se alguém perguntasse se Jesus está próximo de você, qual seria sua resposta? ‘Sim, somos íntimos!’ ou ‘não, faz tempo que nem sei onde deixei Jesus’.

 

Entretanto, o triste é que muitos afirmam que estão em comunhão com Cristo baseadas na presença em cultos, atividades e eventos da igreja. Porém, isso não é garantia de relacionamento e intimidade com Deus.

 

A Bíblia relata que Maria, José e Jesus, foram celebrar a páscoa indo ao Templo. Após apresentarem seus sacrifícios retornaram para casa, mas no caminho de três dias perceberam que Jesus não estava com eles.

 

“Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
 
 
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
 
 
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
 
E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
 
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
 
 
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
 
 
E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
 
 
E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
 
E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.
 
E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.
 
 
E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens (Lucas 2.41-52)”.
 
Como os pais de Jesus, muitos têm o perdido por causa de escolhas que vão contra a Palavra de Deus. Estão sinceramente enganados pensando que a presença na igreja faz delas intimas de Jesus, mal sabem que estão mais longe do que nunca!
Não são os atos de religiosidade que conduz o homem a Deus, mas sim o relacionamento estabelecido com Ele, no coração. Veja a vida dos fariseus: participavam das celebrações, sacrifícios, festas, oravam, dizimava e até ensinavam as Leis, entretanto seus corações estavam longe do Senhor.
A comunhão com o Corpo de Cristo faz parte do crescimento espiritual, mas não é garantia de intimidade com Deus. Intimidade é construída na intimidade, só a pessoa e Deus. O ir a igreja é um resultado desse relacionamento.
 Muitas pessoas iniciam bem sua trajetória ao lado de Jesus, têm intimidade com Ele, mas, no meio do caminho vão permitindo o engano entrar no coração e o que não era normal, passa a ser normal. Quando alguém diz: “Ah! isso não tem nada a ver!”, pode saber que o engano já está alojado no coração.

 E Jesus? perdido na história.

 Jesus ficou para trás e a pessoa continua no caminho do pecado, longe, distante e com os lábios permanece afirmando: “Jesus está comigo! Eu sou de Jesus!
Será que é mesmo?  Leia o que Jesus declarou acerca da igreja de Laodicéia:
“E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 3.14-22). 
 
 
 No texto bíblico, Jesus acusa a Igreja de não ser quente, nem fria e que por ser morna o seu desejo era de  vomitá-la. Em outras palavras: é melhor que viva logo no mundo do que permanecer dentro da igreja vivendo de aparência!
 
Jesus não está interessado em ativismo, de fazer, fazer e fazer. Ele está interessado no ser, ser e ser. O coração, o que está dentro dele é que interessa o Senhor.
E Jesus? perdido na história.
Perdido na história de muitos que nominalmente se declaram crentes, mas não o são. Vivem de aparência, vivem no engano e com isso a história está paralisada, não há progressos.
No texto acima, de Apocalipse, o Senhor aconselha que as pessoas deem ouvidos as suas palavras, a correção, para terem mudança de vida. A saírem da condição de morno para ser quente.
A pessoa que é quente é cheia da presença do Espírito Santo e vive um relacionamento de intimidade com Jesus. Vive com Ele e para Ele fora do culto.
Ouça a mensagem ‘E Jesus? perdido na história’ e pense sobre como está seu relacionamento com o Senhor:

 

Comunicação CERV

Uma amizade perigosa

Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg 4.4).

O mundo, kosmos, aqui, não é o mundo físico, geográfico ou habitado pelo homens, mas um sistema de valores que está em aberta oposição a Deus e à sua palavra.

Não se trata de algo material, mas espiritual. Não se refere à criação, mas à cosmovisão que conspira contra os preceitos de Deus.

É uma maneira ver a vida, a família, a sociedade, a igreja, o dinheiro, o sexo, os prazeres, as oportunidades, o tempo e a eternidade deixando de lado a realidade de Deus e de sua Palavra.

Ser amigo desse sistema é um ato de infidelidade a Deus. É como um adultério espiritual.

Deus firmou um pacto conosco, onde somos o seu povo e ele é o nosso Deus. Estamos numa relação de aliança com ele. Devemos a ele fidelidade e obediência.

Portanto, ser amigo do mundo, amar o mundo e conformar-se com o mundo, é virar as costas para Deus, repudiá-lo e ser infiel a ele.

Consequentemente, a amizade do mundo é inimiga de Deus. Não dá para ser amigo de Deus e do mundo ao mesmo tempo.

É impossível viver enamorado do mundo e ter comunhão com Deus. A amizade do mundo exclui a amizade com Deus e a amizade com Deus impede a amizade com o mundo.

Esse sistema chamado “mundo” é governado por um ser maligno. O mundo tem um príncipe que está em oposição a Deus. O príncipe deste mundo é o Diabo.

Ele é mentiroso, ladrão e assassino. Ele é enganador, tentador e destruidor. Veio para roubar, matar e destruir.

Entenda a importância das escolhas para ter uma vida feliz

Este príncipe das trevas mantém as pessoas cativas em sua casa, na sua potestade e no seu reino lúgubre e lôbrego. Ser amigo do mundo é viver debaixo desse influência maligna.

O mundo tem o seu glamour. Suas ofertas são sedutoras. Suas propostas são aparentemente vantajosas.

O Diabo é um embusteiro. Oferece o que não pode dar. Seus banquetes têm muitas taças transbordantes de prazer, mas ao fim são taças cheias de veneno.

Ao mesmo que oferecem prazer, trazem desgosto; ao mesmo tempo que fazem promessas de liberdade, escravizam. Ao mesmo tempo que anunciam vida, pagam com a morte.

Oh, Deus é a fonte da vida! Na sua presença há plenitude de alegria. Ele é a fonte de todo o bem. Só ele pode trazer alegria para a alma, descanso para a mente, alívio para o coração.

Só ele pode tirar o fardo pesado da dor, perdoar os pecados e fazer novas todas as coisas em nossa vida. A amizade de Deus é o mais sublime privilégio da vida. Ser amigo de Deus é desfrutar de alegria indizível e cheia de glória.

Desfrutar da intimidade de Deus é beber as taças da verdadeira felicidade. Obedecer a Deus é a essência do nosso verdadeiro prazer. Só quando conhecemos a amizade de Deus, temos pleno discernimento de quão enganoso é o mundo.

Só quando saboreamos a alegria da vida eterna e os privilégios que ela traz temos uma noção cristalina de quão perverso é o mundo, quão iníquos são seus valores e quão terrível é o Diabo.

É tempo de rompermos com a amizade do mundo. É tempo de olharmos para a vida na perspectiva de Deus e quebrarmos todos os vínculos que ainda tentam nos prender ao mundo.

Saiba mais sobre as amizade offline e online

O caminho do mundo é largo, mas leva à perdição. A porta do mundo é espaçosa, mas conduz à morte. O mundo é uma mentira. Suas vantagens são pura perda. Seus prazeres são notórios pesados. Seu caminho leva ao inferno. Sua amizade é inimiga de Deus.

Porém, a amizade de Deus é o caminho mais seguro para a nossa plena felicidade aqui e por toda a eternidade, uma vez que a própria essência da vida eterna é conhecer a Deus e deleitarmo-nos nele para sempre e sempre.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda sobre o tema ‘Uma amizade perigosa’, participe dos cultos da Mocidade Restaurando Vidas, aos sábados, às 19 horas.
Mais informações ligue: (31) 98425-5591 (Raquel Almeida)

Seja santo como o seu Pai

Seja santo como o seu Pai. Essa é uma ordenança bíblica a ser seguida por aqueles que renderam suas vidas ao Senhor Jesus Cristo. Ser filho de Deus implica em sermos parecidos com Ele. Quando o apóstolo Paulo diz que nos despimos do velho homem (Ef 4.22), significa que tiramos tudo o que nos deixava iguais às trevas e nos revestimos do Espírito Santo, que é luz.

Se observarmos um filho com o pai, digo na relação natural, notaremos algumas semelhanças físicas e comportamentais tais como: os traços do rosto, a cor do cabelo, o jeito de sorrir, de andar e até mesmo de se expressar. Há características herdadas geneticamente e outras adquiridas pela convivência. A crianças observa o jeito do pai conversar e expressar, e principalmente nos primeiros anos de vida, tende a imita-lo.

E na relação dos filhos com o Deus Pai deve acontecer a mesma forma. É necessário imitar a Deus em tudo. Não se pode ver a Deus, pois a Palavra afirma que ninguém jamais o viu, mas Ele enviou Jesus, que também é Deus, para nos dar o exemplo:

Eu falo do que vi junto de meu Pai, e vós fazeis o que também vistes junto de vosso pai (Jo 8.38)

As Sagradas Escrituras revelam vários atributos ativos de Deus, os mais conhecidos são a sua onipotência, onipresença e onisciência. Porém, há outro muito importante que é a santidade.

No Antigo Testamento, especialmente no livro de Levítico, Deus afirma em vários versículos: “Eu sou santo”. O livro fala a respeito de como o povo de Israel deveria ser para o Senhor: Santos. O Senhor ordena que o povo se separe de tudo que é imundo e pecaminoso. Ele queria uma nação exclusiva e santa para que as outras nações da época olhassem para Israel e reconhecessem Deus em suas vidas.

Porque eu sou o SENHOR, que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo (Lv 11.45)

A Bíblia não oferece duas alternativas para escolher uma: Letra A, se você quiser, na hora que quiser, seja santo. Ou letra B, “Sede santos porque Eu Sou Santo”. Se você tem optado pela primeira opção, sinto lhe informar, mas ela é a resposta errada. A alternativa correta é a letra “B”. O Senhor ordena que seus filhos santifiquem-se, separem-se do pecado. Ou você é santo ou não é. Não existe meio termo.

A Palavra é clara ao dizer que sem santidade ninguém verá a Deus (Hb 12.14). A ordem para os filhos do Pai eterno é:

Portanto, santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o SENHOR vosso Deus. E guardai os meus estatutos, e cumpri-os. Eu sou o SENHOR que vos santifica (Levítico 20.7-8)

O primeiro passo para ser santo tem que partir de você. Quando escolhe se separar, eliminar as velhas práticas pecaminosas, se afasta das companhias que o levam para o mal, o Senhor, por meio do Espírito Santo, completa em sua vida a obra de santificação.

Na sua mente pode surgir a pergunta: “Mas o que devo fazer para ser santo, quais atitudes devo escolher?” Busque o Reino de Deus e sua Justiça em primeiro lugar. Vigie, ore, jejue, estude a Bíblia e congregue em uma igreja que vive os princípios imutáveis da Palavra. Invista em amizades, relacionamentos que lhe impulsionem a estar mais perto do Senhor. E o principal: afaste o que lhe afasta de Deus. Se for uma determinada amizade, a internet, a televisão ou um lugar, passe longe. Tentação não se enfrenta, foge.

Seja o filho que alegra o coração do Pai. Queira imita-lo em tudo, principalmente na santidade. Escolha dia após dia ser santo e a tornar cada vez mais clara as suas vestes diante do Pai.

Aprenda mais sobre “Seja santo como o seu Pai” participe da Escola Bíblica Dominical, aos domingos, às 9 horas, na CERV.
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Santidade:o padrão de Deus

Santidade: o padrão de Deus. Esse padrão contrasta com a atitude humanista e egoísta que leva as pessoas a colocarem as suas vontades acima de tudo, inclusive, quando oram.

Embora muitas petições sejam aceitáveis, Jesus nos ensinou a orar assim:

Pai nosso que estás no céu… seja feita a tua vontade (Mt 6.9-10).

Imediatamente, pode surgir uma pergunta: Qual é a vontade de Deus? O que ele quer? Poderíamos propor tantas hipóteses, mas vejamos o que Paulo escreveu:

Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição” (1Ts 4.3).

A santificação é um conceito amplo, do qual a abstinência é um exemplo prático.

Saiba como andar em santidade lendo este estudo

Será que o propósito do Evangelho é apenas nos abençoar? Seu efeito seria apenas o suprimento das nossas necessidades? Além das bênçãos, a obra de Cristo inclui a santificação, isto é, um processo rumo à santidade, de modo que sejamos cada vez mais parecidos com Jesus.

Ser “abençoado” está, geralmente, ligado à ideia de receber. Ser “santificado” relaciona-se mais à renúncia e aparente perda em prol de um ganho maior.

A tradição religiosa distorceu o conceito da palavra “santo”, usando-a para designar alguns cristãos “mortos, porém, poderosos”, mas a Bíblia refere-se a todos os salvos como santos (At 9.13; Rm 1,7; Ef 1.1 etc.).

A santidade: o padrão de Deus é um processo que começa na conversão. Deus nos resgata como faz o pai que retira o filho da lama, sendo este o primeiro ato de uma série. Em seguida, vem o banho e a troca de roupas.

Assim também, depois de sermos retirados do reino das trevas, precisamos de uma transformação, que é parte do que chamamos “crescimento espiritual”. Depois da “metanóia” (mudança de mente), vem a “metamorfose” (transformação prática).

Não somos apenas transportados para a luz, mas precisamos brilhar como luzeiros no mundo (Fp 2.15), através de um caráter e modo de vida que sejam motivo de glória para o nome do Senhor.

Dentro do assunto A santidade: o padrão de Deus é necessário aprender que o significado do termo “santificação” tem dois aspectos: “separação” e “dedicação”; é separar-se “de” alguma coisa e “para” alguém ou algum propósito. Uma boa figura bíblica para o tema encontra-se na história de Israel.

O propósito de Deus para o seu povo não era apenas libertá-lo do Egito, mas transformá-lo em nação santa (Ex 19.6). Portanto, deu-lhes a lei para santificá-los. Alguns mandamentos visavam evitar o pecado (separação). Outros indicavam o que os israelitas deviam fazer (dedicação).

O cristão não deve ser conhecido apenas por aquilo que parou de fazer, mas pelo que faz para Deus e em favor do próximo. A santificação começa na conversão, mas precisa ser desenvolvida. “Aquele que é santo, santifique-se ainda” (Ap 22.11). Existem várias formas de se santificar. Por exemplo, a lei dada a Israel tinha o objetivo de santificar o povo.

Entretanto, os sacerdotes deveriam seguir mandamentos ainda mais rigorosos para que pudessem estar “mais próximos” de Deus (Lv 21). Outra forma de santificação era a dos nazireus, que se consagravam de modo especial, abstendo-se até de algumas coisas que eram permitidas ao povo e aos sacerdotes (Nm 6.1-21).

Quanto mais nos santificarmos, separando-nos das contaminações do pecado e nos dedicando ao Senhor, mais próximos estaremos dele, não em sentido geográfico, pois Deus está em todos os lugares, mas em termos de intimidade.

Quanto mais sujos, mais distantes. O sumo sacerdote deveria seguir regras rigorosas de pureza para entrar no Santo dos Santos, o local de maior intimidade com Deus no Tabernáculo e no templo. Havia um caminho e um procedimento que conduziam ao Santo dos Santos.

O sumo sacerdote precisava entrar pela porta do pátio, fazer o sacrifício para perdão dos seus pecados, lavar as mãos e, com o sangue no recipiente, adentrar nos recintos mais sagrados da casa do Senhor. Mas tudo isso não seria suficiente, se o ministro não demonstrasse um modo de vida coerente com a dignidade do seu ministério. Um comportamento contraditório poderia desqualificá-lo.

O sacerdote começava seu ministério com uma consagração, significando a dedicação de sua vida para o ofício, mas isso era apenas o começo. No dia a dia, ele devia ter uma série de cuidados para não se contaminar. Caso isso acontecesse, havia os rituais de purificação. Contudo, alguns pecados eram punidos com a morte. Portanto, não poderiam acontecer jamais.

Os nazireus, rigorosamente santificados como Samuel, Sansão e João Batista, tiveram gloriosas experiências com Deus, recebendo poder, revelações e missões especiais. A santificação é, ao mesmo tempo, afastamento do pecado e aproximação de Deus. É evitar o pecado e tomar atitudes de consagração ao Senhor. A santificação iniciada pelo Senhor Jesus em nós é um processo contrário à contaminação.

Como ocorre a santificação? Ela começa pela ação do sangue de Jesus em nós, perdoando os nossos pecados, e prossegue pela ação da palavra de Deus, cujo símbolo é a água, vivificada pelo Espírito Santo, mudando nossa mentalidade e nosso comportamento.

Saiba como andar em santidade lendo este estudo

“E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão” (Hb 9.22).
“E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue…” (1Jo 5.8).
“Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” (Ef 5.26).
“Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado” (João 15.3).
“Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo…” (1Pe 1.2).

 

Os filhos são orientados no sentido de lavarem as mãos antes de receberem o alimento. Assim também, muitas coisas só nos serão dadas pelo Pai celestial na medida em que nos santificarmos. Não nos referimos a coisas materiais, pois estas até os ímpios têm, mas bênçãos espirituais que o dinheiro não pode comprar. Não é questão de merecimento, mas de estar em condições para receber.

“Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós” (Js 3.5).
A santificação deve ser nossa prioridade, pois ela é também uma condição para que entremos no santuário celestial.
“Não toqueis nada imundo, e eu vos receberei” (2Co 6.17).
“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).

Pr. Anísio Renato de Andrade

Saiba mais sobre o tema Santidade: o padrão de Deus, participe da Escola Bíblica Dominical. Todos os domingos, às 9 horas, na CERV. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Três histórias, um só Salvador

Em três histórias, um só Salvador o pastor George Foster compartilha suas experiência missionárias e a mensagem da Salvação

Três história, um só Salvador. A partir do relato de três histórias vivenciadas em um avião, o pastor George Foster aborda a respeito da Salvação.

Cada pessoa tem uma história antes de conhecer Jesus e todas necessitam conhecê-Lo e reescrever uma nova história Nele.

A Bíblia declara que não foi o ser humano por seus méritos e esforços que encontrou Jesus.

Pelo contrário, foi Ele que atraiu o coração do homem e o encontrou. Ele é o único mediador e caminho até o coração do Pai.

Três histórias, um só Salvador apresenta a história de:

1- Uma aeromoça que utilizava um cordão com a cruz, mas não acreditava ser necessário estar numa igreja e viver como a Bíblia diz;

2- Uma cientista que interessa-se pela Palavra de Deus e pede uma Bíblia de presente

3- Um homem que ouve o pastor pregar para outra pessoa alcoolizada e entende que a pregação era para Ele e não para o bêbado.

Todos os três ouviram a mensagem da Cruz, de vida, de salvação, cura e libertação. Mas diante desta mensagem cada um reagiu de uma maneira.

Leia e assista ao Testemunho de salvação do jovem Robson Jr.

Os que escolheram a Cristo puderam, então, desfrutar de uma comunhão íntima e sincera com o Senhor.

Não há nada mais precioso do quê ter comunhão e um relacionamento sincero com Deus.

Entretanto, existe algo que pode interferir nesta comunhão: o pecado.

Assim aconteceu no Jardim do Éden, a partir da escolha errada de Adão e Eva em desobedecer a Deus.

Para reconciliar o homem com Deus, o Senhor traçou o plano de salvação por meio de Jesus Cristo.

Esse plano perdura até hoje para todo aquele que Nele crê!

Outro exemplo de perda de comunhão com o Senhor é o do Rei Davi.

Ele era um homem segundo o coração de Deus. Porém, uma escolha errada o afastou do Senhor.

Não foi a guerra quando deveria ir e cobiçou uma mulher que não deveria possuir e a possuiu.

A mulher ficou grávida e Davi, de todas as formas, tentou encobrir o seu pecado, porém o pecado o achou.

Natã, usado por Deus, apontou a Davi o seu pecado e o Rei confessou o seu pecado e escreveu o Salmo 32.

Confessar os pecados diante do Senhor é melhor que encobri-los.

Pecados arrependidos e confessados geram perdão e restauração pelas mãos do Senhor. Logo, a comunhão é restabelecida.

Não adianta fugir, se esconder e encobrir o mal, pois Deus tudo vê e tudo sabe.

A melhor escolha para o ser humana é confessar, arrepender e mudar de vida. Isso gera bênçãos e mais vida para o arrependido.

Será que você não tem se comportado como Adão e Eva? Como Davi? Ocultando pecados e com isso se afastando cada vez mais de Deus.

O Senhor não tem prazer no pecado, mas deseja transformar a vida do pecador, mesmo que já conheça a verdade.

Hoje é dia de arrependimento, de abrir o seu coração e com sinceridade confessar diante do Senhor os pecados.

Permita que neste momento o Senhor toque no seu coração. Confesse cada pecado, cada atitude errada.

Peça, de todo o coração, que o Senhor Jesus o purifique com o seu precioso sangue, te tornando mais alvo que a neve.

Deus tem uma purificação muito grande para o seu coração. Ele pode e quer mudar sua vida para sempre!

Ouça a mensagem “Três histórias, um só Salvador” e descubra que Jesus deseja ser o autor da sua nova história:
Aprenda mais sobre este assunto, participe do Culto da Sociedade Com Deus, no próximo domingo, às 19 horas, na CERV. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Família protegida

A família protegida é aquela na qual todos os seus membros escolhem andar em obediência e santidade.

A partir dessa escolha o Anjo do Senhor (Jesus) protege toda a família e o mal, Satanás, não pode tocar.

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca.
1 João 5:18

Ouça a mensagem “Lar feliz e abençoado” e seja edificado!

Portanto, a família que serve fielmente ao Senhor, jamais será destruída!

Em Gênesis capítulo 6 encontramos a história da família de Noé. Como cabeça do seu lar, esse homem dava bom testemunho, como a Palavra relata:

Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus. Gênesis 6:9

A vida de Noé era exemplar, mesmo vivendo em meio a um povo desobediente, ele escolheu agradar a Deus.

Toda a sua família foi salva, esposa, filhos e noras, pois Deus se agradava da maneira como viviam.

Hoje, infelizmente, a maioria dos que se dizem filhos de Deus, não têm tido a mesma postura de Noé e sua família.

Saiba mais sobre este assunto

Em vez de se afastarem do mal escolhem agradar a carne e o ego com práticas pecaminosas.

Porém, não importa a escolha individual das pessoas, a sua deve ser a de não pecar e não se contaminar com o meio no qual está inserido.

Se agir dessa forma, principalmente o homem, como sacerdote do lar, o Diabo não terá ocasião ou oportunidade de trazer qualquer destruição sobre você e sua família.

A partir de hoje, escolha estruturar a base da sua família em Jesus Cristo e na Palavra de Deus, para que não venha a ruir.

Ouça a mensagem “Família protegida” e saiba como manter a sua família protegida dos ataques do maligno:

Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! Estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

 

O coração que toca Deus

O coração que toca Deus é o coração restaurado por Jesus Cristo. Por meio do nascimento, morte e ressurreição de Jesus temos livre acesso ao coração do Pai.

Em Jesus os pecados são perdoados e a barreira que existia entre o homem e Deus (Is 53.2) é eliminada.

Sem impedimentos agora temos acesso livre para tocar o coração de Deus. E nada alegra mais ao nosso Pai do que poder ouvir a nossa voz e principalmente olhar para o nosso coração e encontrar sinceridade nas palavras que saem dele.

A Bíblia diz que nossa busca tem que ser de TODO o coração. A dedicação tem que ser total e verdadeira.

“E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. (Jr 29.13)

Como o coração é importante para o Senhor! O coração que toca Deus é esse tipo de coração, que se entrega e se derrama na presença dele. E é isso que faz com que Ele mova a sua mão em nossa direção e realize em nós a mudança, concedendo-nos a vitória que precisamos.

Davi tinha um relacionamento íntimo e sincero com Deus. Quando lemos os Salmos  davídicos é como se entrássemos no quarto de oração do rei. Ele diz tudo para o Senhor, não esconde nada, não escolhe as palavras mais bonitas, mas fala o que realmente está em seu coração.

Saiba como conhecer a Deus

A partir da sua intimidade com o Senhor ele compreendeu que o que agrada ao Pai não são os inúmeros sacrifícios, mas sim um coração quebrantado.

“Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.” (Sl 51.17)

O Senhor não despreza um coração todo dedicado e derramado diante Dele, pois esse é o momento em que o homem demonstra sua total dependência e confiança em Deus.

Então, a partir desse quebrantamento, o Senhor se aproxima com sua mão poderosa e toca onde precisa de cura, libertação e restauração. Ele faz grandes coisas aos filhos que Dele dependem e creem que Ele é poderoso para reescrever histórias e mudar vidas.

“O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito abatido.” (Sl 34.18).

A forma como você busca ao Senhor faz toda a diferença. Não adianta orar para dizer que ora ou cumprir uma obrigação. Deus vê o seu coração, Ele bem sabe se as suas palavras são sinceras e se saem do seu coração.

Quer ver a mão de Deus se mover em sua direção? Então quebrante o seu coração na presença Dele. Se for preciso chorar, chore; e se for preciso humilhar, humilhe-se.

O buscando dessa forma, você verá, no tempo certo e perfeito, a mão do Todo Poderoso estendida sobre a sua vida. Atendendo aos pedidos e aos desejos do seu coração.

Aprenda sobre a perseverança na oração

Kátia Brito

Saiba mais sobre “O coração que toca Deus” participando do Culto da Restauração, toda terça, às 19:30, na CERV.
Mais informações: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Saiba como andar em santidade (Parte 2)

Saiba como andar em santidade lendo a continuidade do nosso estudo iniciado na semana passada.

Hoje, continuaremos a ver alguns tópicos retirados de 1 Coríntios 6.13-20 e que nos guiam a buscar uma vida santa no nosso corpo!

Não defraudar o irmão

A prostituição é um pecado que não afeta só quem o pratica, mas também quem se envolve nele. Quando duas pessoas se envolvem e ambos são cristãos, além de terem pecado contra Deus e o seu corpo, defraudaram um ao outro. Lesaram uma outra pessoa e vão dar conta a Deus pelas duas coisas…pois a Bíblia declara que Deus é vingador destas coisas!

Deus é vingador

Os pecados de prostituição não ficarão impunes. A Bíblia diz que Deus é vingador destas coisas. Em Provérbios 6.29 lemos que não ficará impune aquele que tocar a mulher de seu próximo. Deus julgará os pecados de prostituição!

Alguns crentes não levam a sério o ensino bíblico e “brincam” com a graça divina, esquecendo-se que “de Deus não se zomba; tudo quanto o homem semear, isto também ceifará”, Gl 6.7. Quando escreveu sua primeira epístola aos Coríntios, o apóstolo Paulo declarou:

“Nem nos prostituamos, como alguns deles fizeram; e caíram num só dia vinte e três mil” (1 Coríntios 10.8)

A menção aqui é ao episódio que se deu quando os israelitas estavam nas proximidades de Moabe (Nm 25.1-9) e se entregaram à prostituição com as moabitas. E o relato bíblico mostra que uma praga matou mais de vinte mil homens num só dia! Não se tratava de uma coincidência, mas de juízo sobre o pecado. Quando Finéias, neto de Arão, fez expiação pelo povo, a praga cessou (Nm 25.10-13). Deus é vingador destas coisas!

Rejeitar a santificação é rejeitar a Deus

Muitos fazem pouco caso da mensagem de santidade e acham que estão desprezando um pregador, mas o que a Palavra de Deus de fato ensina é que, quem assim o faz está rejeitando ao próprio Deus e não aos homens que Ele levantou para proclamarem estas verdades.

Sem santificação ninguém verá ao Senhor. Portanto, o que rejeita esta mensagem rejeita ao próprio Deus!

Fugir é o melhor remédio

Há pessoas que acham que a melhor maneira de lutar nesta área é resistir este inimigo, mas o conselho bíblico é bem diferente. Não fala de enfrentar ou resistir, mas sim de fugir! Paulo, escrevendo a Timóteo, disse: “Foge também das paixões da mocidade”, 2 Tm 2.22.

Quando José se encontrou em dificuldades de resistir os apelos da mulher de Potifar a melhor saída que ele encontrou foi correr! Ela não representava uma ameaça física a José; não podia violenta-lo…o único perigo que José viu foi em si mesmo, na sua carne e desejos. Mas não lidou com o problema de nenhuma outra forma a não ser fugir.

Fuja das ofertas do pecado e conserve-se em santidade ao Senhor. Além da bênção presente, saiba que haverá um galardão e recompensa para aquele que vencer.

Quando o apóstolo Paulo escreveu aos coríntios, advertindo-os quanto ao perigo deste pecado deu o mesmo conselho: “Fugi da prostituição”, 1 Co 6.18. Sempre que a Bíblia fala sobre este pecado, ensina a mesma saída. Portanto, siga este conselho!

Que o Senhor o conduza a um viver vitorioso de santidade!

Acesse outros estudos do pastor Luciano Subirá

Pr. Luciano Subirá

Deseja aprender a respeito da santificação, participe dos nossos cultos e Escola Bíblica Dominical! Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Saiba como andar em santidade

É preciso entender que todo cristão deve trazer em si a marca de “santidade ao Senhor”, à semelhança do sacerdote da lei mosaica, que trazia esta inscrição na mitra (Ex 28.36-39).

Portanto queremos trazer luz sobre o processo de santificação e, em especial, a santificação do corpo, uma vez que vivemos dias em que a imoralidade que impera no mundo tem entrado pelos portões da Igreja.

É necessário começar estabelecendo fundamentos da doutrina de santificação, portanto quero iniciar pelo que considero o fundamento principal deste assunto:

“À igreja de Deus que está em Corinto, aos SANTIFICADOS em Cristo Jesus, CHAMADOS PARA SEREM SANTOS, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso.” (1 Coríntios 1.2)

O texto acima nos mostra que a santificação tem duas etapas:

inicial “santificados em Cristo Jesus”;

progressiva“chamados para serem santos”.

Quando a Bíblia usa o termo “santificados” em Cristo Jesus, não fala de algo que está acontecendo, mas sim de algo que já aconteceu; está no tempo passado.

Vários outros textos confirmam que ao encontrarmos Jesus e nascermos de novo, fomos santificados (At 26.18, 1 Co 6.11, etc).

Todo o passado de pecado foi removido e a sujeira espiritual foi lavada (Tt 3.5); tornamo-nos novas criaturas e as coisas velhas já passaram (2 Co 5.17).

Por outro lado, a mesma Bíblia mostra que depois de termos passado por esta santificação, ainda há necessidade de algo mais, pois o mesmo texto também diz: “chamados para serem santos”.

Estes mesmos que foram santificados inicialmente (uma experiência instantânea) são chamados para SEREM santos. Em outras palavras, o que Deus começou agora deve ser mantido e desenvolvido por cada um de nós.

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus” (Hebreus 12.14)

Ao falar sobre seguir a santificação, a Bíblia está falando de um processo. Esta carta foi dirigida a pessoas cristãs, portanto já haviam passado pela santificação inicial do novo nascimento.

Porém, elas necessitavam de algo mais: um processo de santificação. E o que diferencia estas duas etapas da santificação?

O fato do homem ser tripartido (composto de três partes distintas), bem como o da salvação divina tocar de modo distinto cada uma destas partes:

“E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso ESPÍRITO e ALMA e CORPO sejam conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5.23)

Quando o apóstolo Paulo fala sobre Deus nos santificar “completamente”, está falando sobre o nosso ser inteiro, que é composto de espírito, alma e corpo.

Seu espírito é a parte de si que tem consciência de Deus e das coisas espirituais. Sua alma é a parte de si que tem consciência de si mesmo.

Já seu corpo é a parte de si que tem consciência das coisas naturais. A salvação divina atinge cada uma destas três partes da seguinte maneira:

ESPÍRITO – já passou pela santificação inicial que se deu na ocasião da regeneração (2 Co 1.21 – Tg 1.18 – 1 Pe 1.21). Agora se desenvolve mediante o processo de crescimento (1 Pe 2.2 – Ef 5.15) que corresponde ao crescimento natural (1 Co 3.1-3 – Hb 5.13,14);

ALMA – é a nossa personalidade; sede das emoções, intelecto e vontade. Não é regenerada, mas restaurada (Tg 1.21) pela Palavra de Deus.

Enquanto a santificação do espírito é inicial e imediata, a santificação progressiva tem seu lugar na alma e no corpo.

É o processo de mudança de valores (Lc 5.33-39 – Ef 4.23 – Jr 18.1-6 – Rm 12.1,2) que também chamamos de desenvolver a salvação (Fl.1:6 e 2:12) e despir-se do velho homem (Ef 4.20 a 5.21);

CORPO – nosso corpo só será totalmente santificado depois de transformado (Rm 8.23 – Fl 2.21 – 1 Co 15.50-53).

Até que isto aconteça, a santificação do corpo é o processo contínuo de sujeitar a carne (1 Co 9.27), guardar-se da imoralidade (1 Co 6.13-20 – 1 Ts 4.1-8) e usar adequadamente os membros do corpo.

A santificação do corpo abrange ainda a nossa forma de falar e de vestir (Ef 4.25,29 – 1 Tm 2.9,10).

O que aconteceu em nosso espírito – a regeneração – é o que chamamos de santificação inicial.

Porém o processo de restauração da alma e sujeição da carne é o que chamamos de santificação progressiva.

Ao destacar cada uma das três partes que compõem nosso ser enquanto falava da santificação, o apóstolo Paulo estava nos mostrando a necessidade de trabalharmos com cada parte em separado.

Escrevendo aos Coríntios, ele falou sobre nos purificarmos das imundícies tanto da carne como do espírito (2 Co 7.1).

Reconhecida esta diferença, avancemos em nossa meditação considerando o que a Bíblia fala sobre a santificação do corpo, que é o enfoque deste estudo:

“Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição;

QUE CADA UM DE VÓS SAIBA POSSUIR O SEU VASO EM SANTIDADE E HONRA,

não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus;

ninguém iluda ou defraude nisso a seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos.

Porque Deus não nos chamou para a imundície, mas para a santificação.

Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo” (1 Tessalonicenses 4.3-8)

Diante do que as Sagradas Escrituras afirmam neste texto, podemos extrair cinco princípios:

1) abster-se da prostituição;

2) possuir o corpo em santidade e honra;

3) não iludir ou defraudar o irmão nesta área;

4) Deus é vingador;

5) rejeitar a santificação é rejeitar a Deus.

Examinemos o que a Bíblia tem a dizer sobre cada um deles…

Abster-se da prostituição

É impressionante a quantia de vezes em que a Bíblia adverte seus leitores (o povo de Deus) quanto aos perigos deste tipo de pecado! A prostituição (este termo inclui todos os pecados de ordem sexual) é um pecado diferente dos demais:

“Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo” (1 Coríntios 6.18)

Há algo por trás deste tipo de pecado que ainda não temos percebido.

O que Paulo está enfatizando na carta aos irmãos de Corinto é o valor e santidade que o corpo deve ter como templo do Espírito Santo. Observe o contexto deste texto:

“Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará, tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, mas para o Senhor, e o Senhor para o corpo.

Ora, Deus não somente ressuscitou ao Senhor, mas também nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum.

Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um só corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne. Mas o que se une ao Senhor é um só espírito com ele.

Fugi da prostituição. Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.

Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?

Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.13-20)

Quando meditamos nesta porção bíblica a ponto de deixa-la penetrar em nosso íntimo, uma nova consciência vai se formando.

Abster-se da prostituição é um imperativo para todo cristão porque seu corpo é templo do Espírito Santo de Deus!

O corpo não foi feito pelo Criador para se prostituir, e sim para carregar em si a presença de Deus, o que não pode acontecer quando o santuário é maculado.

Deus criou o corpo do homem com um destino bem definido. Assim como Ele fez o estômago para os alimentos (e vice-versa), o que revela um propósito e destino bem específico, assim também projetou e idealizou o corpo para ser seu santuário.

Desde o início Deus queria fazer de nós sua habitação.

O corpo não foi criado para a prostituição, mas para ser SANTO de modo a servir como morada de um Deus santo!

Conheça os estudos do pastor Luciano Subirá

Possuir o corpo em santidade e honra

Não somos donos de nós mesmos. Foi exatamente isto que Paulo afirmou aos Coríntios:

“Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.13-20)

Deus nos comprou pelo sangue vertido de Jesus na cruz. Agora não mais pertencemos a nós mesmos, mas sim a Deus. Nosso corpo deixou de ser nosso e passou a ser do Senhor, e Ele deseja que o glorifiquemos com o uso correto do nosso corpo.

Precisamos aprender a “possuir” (usar, ser mordomo) o corpo em santidade e honra. Isto fala na apenas de na nos prostituirmos, mas até mesmo da maneira como tratamos nosso corpo: alimentação, vestuário, etc. isto serve para todos, mas em especial para as mulheres! Não creio que possuir o corpo em santidade (diante de Deus) e honra (diante dos homens) inclua o uso de roupas sensuais e provocantes. O crente deve ser diferente! Isto não significa que teremos algum tipo de uniforme (terno para os homens e vestido para as mulheres, por exemplo), mas que devemos mostrar zelo pelo santuário de Deus e não defraudarmos uns aos outros nesta matéria. O ensino bíblico não deixa isto passar em branco:

“Quero, do mesmo modo, que as mulheres se ataviem COM TRAJE DECOROSO, com modéstia e sobriedade…” (1 Timóteo 2.9a)

Não devemos faltar com o decoro, mas honrar ao Senhor até na forma como nos vestimos. Isto também é possuir o corpo em santidade e honra!

Pr. Luciano Subirá

Na próxima quarta daremos continuidade a este estudo!
Deseja aprender a respeito da santificação, participe dos nossos cultos e Escola Bíblica Dominical! Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

 

“É Jesus, é Jesus e é Jesus”

Meu nome é Robson de Almeida Lage Junior, tenho 21 anos e há 1 ano e 2 meses sou membro da CERV. Antes de conhecer a Jesus Cristo, eu era um jovem irado que facilmente se enraivecia. Xingava palavrões e utilizava palavras ásperas de forma muito natural, pois me sentia no direito de agir dessa maneira.

Meu relacionamento com meus pais era muito difícil. Não os respeitava de forma alguma e constantemente discutia com eles por motivos banais. Um dos assuntos que geravam brigas era a constante cobrança a respeito de estudos e trabalho. Não tinha interesse algum em estudar e menos ainda em trabalhar. Meu projeto era ficar em casa sem fazer nada e curtir a vida com meus “amigos”. A relação com meu irmão mais velho era péssima, não conversávamos e quando tínhamos algum diálogo logo aconteciam discussões. Os motivos? Sempre fúteis. A única pessoa com quem convivia bem era minha irmã de 7 anos. E as vezes com meus pais, principalmente quando não estavam me cobrando de alguma coisa.

Por não ter paz dentro do meu lar preferia passar horas fora de casa. Me sentia melhor na rua, na companhia dos meus “amigos”, e fazendo tudo que tinha vontade. Enquanto estávamos juntos falávamos e fazíamos muitas besteiras, tínhamos comportamentos e atitudes que nem vale a pena mencionar. Nossos lugares preferidos eram os bares ou os estádios de futebol ou ficar na rua, perto de casa. Não tinha o hábito de consumir bebida alcoólica, raramente consumia. O que valia a pena era ficar longe de casa, pois não haveria cobranças e nem brigas.

Entretanto, em meio a tanta euforia e curtição, no meu interior, dentro do meu coração, havia apenas vazio e tristeza. Quando esses sentimentos ruins aumentavam, o meu desejo era ficar isolado, não queria falar com ninguém, queria ficar sozinho. Em meio a essa situação, meus vizinhos, que são evangélicos e membros da CERV, falaram comigo a respeito de Jesus e da Palavra. Foi a primeira vez que realmente me interessei em aprender sobre o Evangelho, pois já havia ido a  cultos em outras igrejas, porém não tive vontade de permanecer nessas igrejas.  Recebi desses vizinhos o convite para participar do Culto de Ano Novo 2015-2016, na CERV.

Realmente gostei muito da CERV, pois vi nas pessoas sinceridade e nas palavras pregadas a verdade sobre o pecado. Passei a frequentar a igreja aos domingos. Ficava admirado em ver como pessoas tão diferentes podiam viver tão unidas, falando a mesma língua, sendo gentis e amorosas. Continuei a frequentar a igreja até que chegou o Acampadentro de 2016. Participei das pregações pelas manhãs e nos períodos da noite.

Quando cheguei a igreja no domingo à noite, 7 de fevereiro, estava pensativo a respeito da minha vida. Não me recordo muito da pregação do pastor Rafael, mas me lembro de ter, naquela noite, olhado bem para quem eu era, para as minhas atitudes, e compará-las com a verdade que ouvia dentro da igreja. A pregação acabou e permaneci assentado, pensando, até que uma irmã da igreja chegou até mim e perguntou se eu já havia entregado a minha vida a Jesus. Respondi que não. A partir daí ela contou um pouco seu testemunho e falou do amor de Jesus pela minha vida. Em meio à conversa comecei a chorar, pois senti algo no meu coração, hoje sei que era o Espírito Santo me tocando, e percebi que precisava tomar uma atitude e mudar de vida.

Nesse dia entreguei meu coração a Jesus Cristo e me senti uma pessoa melhor, mais leve, diferente. Muitos comportamentos mudaram, entretanto, havia pecados na minha vida que não tinha forças para abandonar. Mas à medida que buscava o Senhor e frequentava os cultos da igreja Ele foi me ajudando a vencê-los. O Espírito Santo me dava, a cada dia, convicção de que Deus tinha um plano para a minha vida e minha família. E para que esse plano se cumprisse, precisaria verdadeiramente me consagrar a Ele e ter um relacionamento íntimo com Cristo.

Passei a orar e a jejuar diariamente, a me separar do pecado e a buscar a santidade no Senhor. Além disso, iniciei aconselhamentos semanais que me ajudaram e ajudam muito a ficar mais firme e forte no Senhor. A pastora Graça, líder da CERV, também conversou muito comigo e me orientou a respeito de muitos assuntos, o que foi de bênção para mim.

Iniciei uma busca incessante pelo batismo com o Espírito Santo, orando, jejuando, estudando a Palavra e participando dos cultos. E também comecei a orar clamando pela salvação da minha família e a interceder pela igreja e meus irmãos em Cristo. Todos os eventos da igreja e cultos sempre clamava a Deus pelo Batismo com o Espírito Santo, queria muito ser batizado.

Após 1 ano, desde a minha conversão, se aproximava mais uma vez o Acampadentro. Minha expectativa era grande, queria muito participar, mas não tinha recursos financeiros. Comecei a orar e a pedir a Deus essa provisão. Dois dias antes de iniciar o Acampadentro recebi a boa notícia de que um irmão da igreja havia me abençoado. Fiquei muito feliz e grato!

Assim que recebi essa notícia a minha oração para Deus foi: “Senhor, que aconteça tudo conforme a sua vontade”. Eu sabia que Deus tinha algum propósito para minha vida neste Acampadentro, pois havia respondido minhas orações a respeito do dinheiro para participar. Permaneci em jejum durante o Acampadentro e orando para ser batizado.

Na segunda, 27 de fevereiro, no período da manhã, o Senhor realizou uma obra de libertação na vida de vários irmãos. Logo em seguida uma unção gloriosa foi derramada na igreja. Nessa hora clamei: “Me batiza, Senhor, me batiza”. E nada aconteceu. Comecei a chorar pensando que devia haver algo errado comigo. Porém, o Senhor usou a vida da pastora Deuslira para me mostrar que precisava continuar buscando e sem desanimar.

No mesmo dia à noite, na vigília, fomos orientados a orar em duplas. Estava orando com um irmão, e enquanto orávamos podia ouvir as pessoas orando em línguas, sapateando, e queria que Deus me tocasse para que acontecesse o mesmo comigo.  Minha dupla de oração estava pulando no Espírito, orando em línguas e segurando as minhas mãos e eu não sentia absolutamente nada. Permanecia orando: “Senhor me batiza, me batiza”. Nesse momento uma obreira da igreja chegou perto de mim e começou a orar batendo na minha cabeça e dizia: “Fala só glória, fala só glória”.

Teve um momento que estava ficando cansado de falar tanta glória. Então a obreira colocou a mão no meu pescoço e repreendeu o Inimigo. Quando ela colocou a mão na minha cabeça novamente veio uma vontade forte de gritar “glória”. Subiu um calor inexplicável. Senti meu rosto queimar e minhas mãos também de forma que não conseguia senti-las.  Enquanto falava “glória” ouvi a irmã dizer: “Você foi batizado, Robson, a língua é sua, a língua é sua”.  Não tinha percebido, mas já estava falando em línguas. De repente caiu um fogo tão grande que não conseguia ficar parado, apenas sapateava e rodava. Foi maravilhoso, foi muito, muito bom!

Deitei no chão, pois não conseguia ficar em pé, de tanto poder. Quando abri os olhos pensei: “Meu Deus o que será que aconteceu comigo, será que já acabou a vigília? ” Não sei dizer quanto tempo fiquei deitado. Assim que levantei me assentei, porque não conseguia ficar em pé. Depois levantei novamente e encostei na parede, e Deus derramou mais fogo sobre mim e sapateei e falei em línguas mais uma vez.

Quando parei de falar em línguas me ajoelhei e comecei a declarar: “É Jesus, é Jesus, é Jesus” e o tempo todo tinha vontade de declarar essa verdade. Não estava preocupado, muito menos com vergonha de estar ali e as pessoas me verem.  Só tinha vontade de dizer: “É Jesus, é Jesus e é Jesus” (assista ao vídeo que registrou esse momento tão especial na vida de Robson). Algumas vezes falava sorrindo, outras chorando, às vezes mais sério, às vezes mais alto, não importava, só queria declarar: “É Jesus! ” Naquele dia fui dormir quase amanhecendo o dia, pois não conseguia parar de falar em línguas e de sentir aquele poder de Deus na minha vida.

Depois dessa experiência gloriosa, me sinto uma pessoa muito mais feliz, principalmente por saber que agora estou revestido de poder do Espírito Santo, e isso é maravilhoso! Sou muito grato a Cristo por ter me salvado, libertado e batizado. Sou um novo Robson Junior, para a glória de Deus, e a cada dia, sempre melhorando na presença do Senhor!

Robson Almeida Lage Junior

Assista ao vídeo que registrou uma porção do que foi o glorioso batismo com o Espírito Santo, recebido por Robson:

Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! Estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica.
Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

 

Page 1 of 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén